A história de Caieiras surgiu no século XIX quando o Cel. Antônio Proost Rodovalho, comprou uma fazenda ao longo do Rio Juqueri-Guaçu, nas proximidades de onde formou-se a cidade de Caieiras. A existência em abundância de um importante mineral próprio para a fabricação da cal. O Coronel Proost Rodovalho que era conhecido por seu empreendedorismo no comércio, agricultura e nas instituições financeiras, por volta de 1877 mandou construir dois fornos, passou a produzir a Cal e transporta-la em lombos de mulas até a estação ferroviária de Perus - Ferrovia The São Paulo Railway Company Limited, conhecida na época apenas por "Inglesa". 

 

ORIGEM DO NOME CAIEIRAS 

 

Os fornos de cal foram inspiração para a denominação - Caieiras e surgiu em 1883, com a implantação da Estação Ferroviária da cidade. Era costume utilizar as características do lugar onde a ferrovia seria implantada para sua denominação. 

 

CHEGADA DA ÁGUA 

 

Outro importante feito do Coronel foi a fundação da Companhia Cantareira de Esgotos, através de uma parceria com financistas da Capital, que facilitou a chegada de água. 

 

PRIMEIROS MORADORES 

 

Aos poucos o local foi se tornando habitável. Os primeiros moradores da cidade foram 180 trabalhadores italianos, que formaram o primeiro núcleo habitacional planejado para trabalhadores livres do Brasil. 

 

ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DE CAIEIRAS 

 

A pedido do Coronel Proost Rodovalho a Inglesa implantou a Estação Ferroviária denominada Caieiras, em 19 de julho de 1883. . Esta ferrovia, também conhecida como "inglesa", trouxe consigo o desenvolvimento da região. 

 

FABRICAÇÃO DE PAPEL 

 

A partir de abril de 1890, teve início em Caieiras a fabricação de papel. Na ocasião o presidente da Província - cargo compatível ao de governador, Prudente de Morais, além de outros políticos e empresários. 

 

DESTAQUE NO JORNAL 

 

O evento foi documentado na primeira página do Jornal O Estado de São Paulo na edição de 20 de abril de 1890. 

 

MELHORAMENTOS 

 

Em 1890 um grupo de empreendedores e progressistas brasileiros fundam a Companhia Melhoramentos de São Paulo - Industria de Papéis. 

 

Em 1890, Rodovalho e sua esposa, Etelvina Dutra Rodrigues Rodovalho, adquirem a Cia. Melhoramentos de São Paulo, intensificando ainda mais a produção de papel. Foram realizadas grandes plantações de pinheiros e eucaliptos na região para a utilização da companhia, que posteriormente, inspiraram a denominação "Cidade dos Pinheirais". 

 

NÚCELO DE TRABALHADORES 

 

Os trabalhadores que anteriormente se dedicavam à agricultura foram fixados em 180 residências construídas na Melhoramentos. Assim, formou-se o primeiro núcleo habitacional planejado para trabalhadores livres do Brasil. 

 

Em 1890, Rodovalho e sua esposa, Etelvina Dutra Rodrigues Rodovalho, adquirem a Cia. Melhoramentos de São Paulo, intensificando ainda mais a produção de papel. Foram realizadas grandes plantações de pinheiros e eucaliptos na região para a utilização da companhia, que posteriormente, inspiraram a denominação "Cidade dos Pinheirais". 

 

POLÍTICA 

 

A vida política começou a tomar forma em 1953, quando os moradores da região passaram a organizar a Comissão Pró-Emancipação de Caieiras, cujo objetivo era criar o Município de Caieiras. Assim, foi enviado à Assembléia Legislativa uma solicitação para a realização de um plebiscito que decidiria sobre a criação do município. 

 

Depois da realização do plebiscito cuja escolha da população foi pela emancipação, em 14 de Dezembro de 1958 surge oficialmente o município de Caieiras. 

 

Caieiras é uma cidade em constante crescimento, destaca-se pelas indústrias plásticas e papeleiras. Com aproximadamente cem mil habitantes possui um dos melhores índices de qualidade de vida do Estado de São Paulo.

 

O município de Caieiras possui 81.163 mil habitantes, em seus 96 Km² de área territorial. Conhecida com a “cidade dos pinheirais”, por possuir uma grande área florestal preenchida principalmente por pinheiros, Caieiras tem um PIB – produto interno bruto, per capita de R$ 11.711,00 (onze mil setecentos e setenta e um reais, de acordo com censo realizado pelo IBGE em 2006).

Em serviços de saúde, a cidade oferece 19 unidades, entre elas, 12 são do Sistema Única de Saúde – SUS. No total, são 109 leitos disponíveis para atender os caieirenses.

A rede escolar municipal registrou 13.179 matrículas para o ensino fundamental, e 4.498 para o ensino médio – setor educacional que conta com 307 professores.

Caieiras tem recebido inúmeras empresas ao longo dos anos. Seu cadastro central de empresas possui 1.577 unidades locais (Censo IBGE 2008), que empregam 17.388 pessoas. Dentre esses estabelecimentos empresariais, destaca-se a Melhoramentos – MD Papéis, indústria de papel e celulose responsável pela fabricação de material utilizado e conhecido em todo Brasil.

(Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE)




Avisos de eventos e principais notícias da semana no seu email:



Veja todos nossos endereços e contatos
(11) 4445-9200